Knauf Knauf

Outros Projectos

Projecto Vara

A tecnologia de paredes exteriores da Kanuf é a base para o projecto Bienal.Aspetos sobre Vara

Proyecto Vara
  • Proyecto Vara
  • Proyecto Vara
  • Proyecto Vara
  • Proyecto Vara
  • Proyecto Vara
  • Proyecto Vara

Iphofen, 12 de Maio de 2016

Knauf Advanced Press Report Vara Biennale Project 2016.doc

Uma contribuição arquitectónica impressionante, obra dos arquitetos chilenos Sofía von Ellrichshausen e Maurizio Pezo, denominada “Vara” está a surgir na Bienal de Veneza que se celebra este ano. A obra, de arte arquitectónica, é composta por dez círculos de diferentes tamanhos entrelaçados e acessíveis. A execução foi possível graças às paredes exteriores construídas com as placas de cimento de material ligeiro.

De 28 de Maio a 27 de Novembro de 2016 a XV Bienal internacional de arquitectura de Veneza será uma vez mais o pondo de encontro para os arquitectos de todo o mundo. Esta Bienal, que se celebra cada dois anos em Veneza, é um dos eventos arquitectónicos mais significativos e importantes. Este ano apresentam as suas obras, 88 participantes de 37 países. O comissário da exposição desta edição é Alejandro Aravena. Ganhou o prémio Pritzker em 2016, é o comissário do projecto “Vara”, uma unidade de dez círculos de diferentes tamanhos desenhados pelo estúdio de arte e arquitetura Pezo von Ellrichshausen. O termo “Vara” provém de uma antiga unidade de longitude do século XIX muito utilizada em Espanha e em Cuba. Uma Vara equivale a uma longitude de 0,836 metros. Esta é a dimensão que se toma como base para o cálculo dos diferentes raios dos dez círculos.

O projecto Vara é uma simbiose entre a arte e a arquitectura. As dez unidades circulares estão ligadas e entrelaçadas entre si de tal modo que formam uma figura geométrica labiríntica com diferentes pontos de vista interiores e exteriores.

A representação de diferentes circunstâncias espaciais, superfícies côncavas irregulares e convexas, assim como o intercâmbio de espaços que abrem e escurecem constantemente os nichos e recordam uma experiência espacial fascinante produzida pela construção.

Em conjunto com os peritos em estrutura ligeira da Kanuf, os arquitetos decidiram por uma estrutura de painéis de gesso resistente à intempérie como material para por em prática da construção. A colaboração intensiva e o diálogo com os arquitectos é um aspecto importante dentro da filosofia da empresa Knauf. Com o conceito introduzido em 2013 "Build Beyond”, a Knauf estabeleceu o objectivo de criar uma plataforma de intercâmbio entre a arte e a arquitectura que ofereça um espaço para partilhar visões e ideias.

A sua participação na Bienal neste projecto é uma marca neste contexto. Apesar de tudo, as vantagens da inovadora construção ligeira Knauf de alto rendimento, desempenharam um papel muito importante na sua execução. O seu baixo peso, rapidez e secagem rápida, a sua resistência à intempérie, assim como a possibilidade de implantar paredes de formas bastante curvas, foram aspectos decisivos nesta difícil tarefa. Em resumo, mais de 400 perfis de aço Knauf CW de 100x50x0.8 mm aparafusados a uma distância de 40 cm sobre as placas de madeira que davam forma à base. Seguidamente o revestimento classing em ambos lados com mais de 1000 m² de Knauf Aquapanel para exterior. Para esta finalidade foram dobrados in situ para conseguir as especificações das curvas. Uma das vantagens adicionais das placas foi que inclusivamente os raios mais apertados poderam ser implementados. Inclusivamente, com o raio mais pequeno (0.83) não houve qualquer problema. Para finalizar, as juntas foram preenchidas e foi aplicado um acabamento de gesso mineral igual ao do restante sistema. Os corredores ligam os círculos entre si e criam uma experiência labiríntica única de ambiente e espaço.